O futebol amador socializa o esporte

Enquanto o futebol profissional está sendo elitizado, o amadorismo garante paixão e torcida aos torcedores

Por João Victor Belline.

Enquanto as arenas e as transações milionários chamam a atenção de todos aficionados com o futebol, há um mundo muito diferente deste mexendo com o coração de diversas pessoas amantes do esporte bretão. Ao invés de iluminação artificial e campo de grama baixa padrão europeu, o quicar irregular da bola surrada levanta poeira e exige astúcia ímpar do jogador. Nas arquibancadas não há ninguém sentado muito menos em camarotes, a torcida é o próprio bairro, gritando debaixo de Sol, levantando fumaça e representado uma identidade intrínseca aquele morador.

O futebol amador tem em si uma importância social. Por mais que hajam atividades esportivas, tanto em nível local como nacional, nenhuma delas é tão acessível à população em sua totalidade. As atividades acontecem em diversos pontos da cidade e de forma gratuita. Ainda mais, elas atingem as periferias, não limitando a pontos específicos da cidade, socializando o esporte.

O futebol amador é a única opção para alguns torcedores. (Foto: Fernando Martins/João Victor Belline)

O futebol amador é a única opção para alguns torcedores. (Foto: Fernando Martins/João Victor Belline)

“As pessoas fazem muito esforço para o time estar em campo, uma tia que lava uniforme. E é o futebol da quebrada, você vê um garoto com a camisa dos times do amador, mas não vai ver com a camisa do Noroeste. O basquete elitiza. O vôlei nem tanto. Ingresso do basquete: vinte reais, a família gasta sessenta reais só pra entrar. E no amador, ele toma guaraná, come um pastel, e gasta no máximo vinte reais. O amador socializa o esporte. É o modo como a periferia pode se divertir.”, destaca Luiz Lanzoni, comentarista que acompanha os amadores de Bauru e Agudos.

Apesar do caráter simplista e uma certa romantização, é preciso discutir os rumos que este nicho do esporte está tomando. Cada vez mais, em diversas esferas do esporte, a elitização está afastando este tipo de evento do caráter popular. Os ambientes de disputa dos esportes estão sendo higienizados e não permitem a participação de todos. O alto preço dos ingressos está afastando os torcedores dos estádios e ginásios. Assim, o amadorismo garante um espaço democrático às regiões periféricas não contempladas pelos eventos elitizados.

Os times mobilizam seus bairros como torcida. (Foto: Fernando Martins/João Victor Belline)

Os times mobilizam seus bairros como torcida. (Foto: Fernando Martins/João Victor Belline)

As dificuldades para a manutenção do futebol amador em Bauru são inúmeras. Apesar de alguns clubes contarem com investimento e conseguirem até contratações importantes, a realidade da maioria é bem diferente. Cada etapa, desde a confecção dos uniformes e sua lavagem até o dinheiro gasto no campeonato, traz inúmeros esforços para as equipes se manterem. Mas a relação entre o investimento e a emoção que o esporte fornece não são diretamente proporcionais. Apesar de todas as dificuldades, o amador mantém viva a paixão de milhares de torcedores.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s