Pesquisadores da USP desenvolveram um sensor que ajuda a medir o nível de poluição nos rios urbanos

O protótipo é mais barato e produzido a partir de materiais acessíveis

Laís Esteves

Protótipo analisa o nível de turbidez da água, que junto com outros fatores, pode indicar poluição nos rios. | Foto: http://www.educacao.cc

Pesquisadores do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação da USP de São Carlos desenvolveram um sensor que é capaz de medir a poluição nos rios urbanos. A pesquisa é resultado do projeto de iniciação científica de Alexandre Colombo, graduado em engenharia elétrica e Pedro Henrique Fini, aluno do curso de engenharia da computação, sob orientação do professor Jó Ueyama.

O protótipo foi construído a partir de tubos de PVC e um emissor infravermelho que ajuda a medir a turbidez da água. O nível de turbidez, em conjunto com outros dados, pode ser um sinal de poluição. A partir desse indicativo é possível determinar os rios que podem sofrer enchentes.  “O protótipo possui duas extremidades – de um lado está localizado o emissor infravermelho e do outro o receptor. O fluxo de água do rio passa pelo interior do cano, entre os dois sensores. Quanto mais turva a água, menor será a incidência de luz infravermelha no receptor. A partir dessa fração de luz recebida, o sensor é capaz de estipular o nível de turbidez do rio, ou seja, avaliar sua transparência”, explica Ueyama.

Os dados obtidos pelo protótipo são enviados para a estação base de controle por meio de uma placa Arduino. “Essa placa processa os dados obtidos e os envia para estação base de controle através de um dispositivo eletrônico chamado ZigBee, que usa redes sem fio de comunicação” comenta o pesquisador.

De acordo com o professor, o sensor é mais barato e acessível “A grande vantagem do protótipo é a facilidade com que ele pode ser desenvolvido, pois os componentes utilizados são mais baratos e podem ser facilmente adquiridos. Consequentemente, pode-se proporcionar uma tecnologia nacional para monitorar os rios, com um custo cem vezes menor do que os diversos sensores existentes no mercado internacional”, explica.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s