Girl Power nas redes: meninas mostram o poder do ativismo on-line

16923399_10208294172848909_2100648936_n

Foto: reprodução/Facebook

 

Por Caroline Mazzer

Não é fácil lidar com o machismo, nós, mulheres, sofremos diariamente com isso. Um olhar exagerado, uma frase com termos chulos, um assobio… Todo dia, durante o dia todo. Aí você pensa na hora de se vestir, pensa se vale a pena sair com os amigos por conta do risco que se corre ao ter de voltar para casa sozinha à noite.

Aos poucos, o feminismo e o ativismo na rede estão ajudando a mudar essa realidade. Um exemplo é o blog “Nó de oito”, da Lara Vascouto. O blog traz diversos temas, sempre desconstruindo pensamentos machistas e preconceituosos. Uma das colaboradoras desse blog é a Lívia Reginato, ela conta que, a partir desse engajamento on-line, é possível despertar nas pessoas o interesse por temas como o feminismo, e se há interesse do público, os veículos de comunicação tradicionais, como a televisão, acabam tendo que tratar desses assuntos.

“Mesmo que a abordagem dos veículos tradicionais não seja a mais adequada quando esses temas são tratados, aos poucos, com a cobrança e a fiscalização dos internautas, as coisas vão mudando. Um exemplo recente é o programa ‘Amor & Sexo’ que abordou o feminismo. Muitas ativistas criticaram a forma como o feminismo foi tratado no programa, mas não há como negar que ter o tema pautado na maior emissora de TV aberta do país é uma coisa muito positiva, pois atingem públicos que desconhecem esse movimento”, explica Lívia.


Outro exemplo de ativismo na rede é a
websérie “Delas”, criada como um trabalho de conclusão de curso das alunas de Relações Públicas, Ana Clara Toledo e Mayara Bailo. A série é publicada no Instagram e tem como público-alvo meninas adolescentes. Segundo as criadoras, a ideia de trabalhar temas feministas surgiu de forma espontânea, pois é algo que faz parte da vida cotidiana das jovens. “A questão do feminismo aconteceu muito naturalmente, pois esse tema está sendo discutido cada vez mais e percebemos, durante nossas reuniões e conversas, o quanto era importante tratar sobre isso”, contam elas.

Anúncios

Uma resposta para “Girl Power nas redes: meninas mostram o poder do ativismo on-line

  1. Pingback: Links matérias produzidas para o portal #Universitag | Carol Mazzer·

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s