Mudanças na Copa Libertadores: qual o impacto para os clubes brasileiros?

O regulamento da edição de 2017 mostra uma aproximação com o formato dos torneios disputados na Europa

A cobiçada taça do torneio. Qual time sairá como campeão? Foto: Reprodução

A cobiçada taça do torneio. Qual time sairá como campeão? Foto: Reprodução

Por Bruno Ribeiro

No fim de 2016, a Conmebol anunciou mudanças radicais na Copa Libertadores da América. O Comitê Executivo da entidade decidiu alterar o formato e a quantidade de clubes participantes do torneio. A competição agora será disputada em 42 semanas, não mais 27 como nos anos anteriores. Ou seja: os jogos passarão a durar de fevereiro até novembro.

Depois de uma análise criteriosa das necessidades e características próprias do futebol sul-americano, decidimos adotar o calendário anual para a Libertadores. Por muito tempo os clubes tiveram que escolher entre o campeonato local e os torneios continentais, e isso afeta a qualidade de ambas as competições. Essa mudança nos permitirá melhorar o desempenho esportivo nos torneios nacionais, proteger os jogadores e, além disso, potencializar a qualidade de jogo das copas continentais”, afirmou o dirigente Alejandro Domínguez, via assessoria da Confederação.

Os clubes e torcedores brasileiros não viram as mudanças com bons olhos, pois o calendário de 2017 precisou ser revisado de maneira drástica. Ao longo do segundo semestre, algumas equipes poderão disputar quatro competições de forma simultânea: o Brasileirão, a Copa do Brasil, a Copa Sul-Americana e a própria Copa Libertadores da América.

Para o jornalista Fabrício Carvalho, colaborador dos sites Torcedores e Mídia Esportiva, a decisão deve trazer benefícios porque foi inspirada na Liga dos Campeões da Europa. “As mudanças  podem não ser muito bem aceitas pelo torcedor sul-americano por questões culturais. Mas haverá mais dinheiro circulando no futebol sul-americano, ainda mais se adaptando ao modelo do futebol europeu, que deverá ser um guia para a melhora da prática esportiva em todo o mundo”, afirma o especialista.

As etapas preliminares do torneio já estão em andamento. Os clubes classificados garantirão suas vagas na fase de grupos para decidirem depois os times credenciados ao “mata-mata”. Atlético-PR, Botafogo, Chapecoense, Grêmio, Flamengo e Palmeiras são os representantes brasileiros em 2017.

Anúncios

Uma resposta para “Mudanças na Copa Libertadores: qual o impacto para os clubes brasileiros?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s